A importância do pentest para o processo de fusão e aquisição (M&A)

Picture of vantico

vantico

Fusão e Aquisição - Senki

O termo fusão e aquisição (F&A) é a tradução do inglês para merge and acquisitions (M&A). Ele é utilizado para representar a compra de uma empresa por outra, com o objetivo de dominar o mercado ou combinar a força de ambas.

Para que esse processo se concretize, no entanto, é realizado um procedimento chamado due diligence, ou diligência prévia em português. Isso significa que a empresa compradora irá conduzir uma investigação para analisar todos os riscos envolvendo a compra e levantar o máximo de informações possíveis a respeito da que será comprada – como uma auditoria.

Nesse estudo são analisados aspectos financeiros, jurídicos, trabalhistas, ambientais e, até mesmo, tecnológicos.

A previsão é de que, agora que a pior fase da pandemia passou e os investidores estão ficando mais seguros, o número de F&A volte a subir.

Por que o pentest é necessário na fusão e aquisição?

Dentro da diligência prévia, um dos pontos analisados é a cibersegurança da instituição, justamente para identificar e corrigir qualquer risco existente. É aí que entra o pentest, como a principal ferramenta para realizar essa análise e eliminar as vulnerabilidades encontradas, permitindo o prosseguimento do processo de fusão e aquisição.

Se uma organização está interessada em comprar outra, mas percebe que esta não possui nenhum tipo de defesa contra ciberataques e que seus principais produtos estão completamente vulneráveis, ela provavelmente não continuará com a fusão ou aquisição, pois os riscos envolvidos são muito altos.

Diligência prévia

Como esse é um processo longo, demorado, em que é necessário levantar e revisar uma quantidade muito grande de informações, quanto mais rápido os testes de intrusão forem realizados, melhor.

Após a decisão de efetuar o teste, é importante dar prioridade para os principais bens da empresa e aqueles que são essenciais para o processo de fusão e aquisição.

É importante ressaltar também que a diligência prévia não é feita apenas em processos de F&A. A Petrobrás, por exemplo, a realiza com todas as suas fornecedoras antes de firmar um contrato. Portanto, estar preparada para esse processo é fundamental para qualquer empresa que deseja crescer no mercado.

Por que o PTaaS é mais vantajoso?

Para as instituições que estão passando ou pretendem passar por uma fusão e aquisição, buscar empresas que oferecem o pentest no formato PTaaS (Pentest as a Service) é mais vantajoso. Por quê?

#1 Agilidade

Aqui na Vantico, por exemplo, oferecemos uma plataforma que é atualizada em tempo real pelo profissional que realiza o teste, o que faz com que o processo seja conduzido de forma mais ágil, pois indica quais foram as brechas de segurança encontradas e permite que a empresa as corrija assim que possível.

#2 Credibilidade

Além disso, já que os pentesters utilizados são terceirizados, a empresa terá acesso aos melhores profissionais disponíveis no mercado, garantindo ainda mais segurança à instituição que deseja comprá-la e mais credibilidade para a que será comprada, o que será atestado durante a diligência prévia.

#3 Informações completas

Através da plataforma também são disponibilizados relatórios completos, detalhados e com insights de segurança oferecidos pelo próprio pentester. Dessa forma, ambos os lados estarão munidos com o máximo de informações possíveis, o que também acelera o processo de diligência prévia, além de contribuir para reforçar a garantia de segurança.

#4 Retest

Depois que as correções necessárias forem feitas pela empresa, é essencial realizar o retest, ou seja, refazer os testes com o objetivo de verificar se as alterações realmente foram eficazes. 

Aqui na Vantico, por exemplo, o retest já vem incluso nos serviços que oferecemos, então a empresa recebe a confirmação da segurança sem ter que pagar a mais por isso.

veja também

Outros conteúdos sobre Segurança Cibernética